Festimalha encerra batendo meta de público e vendas

28 de Maio de 2017

Em 25 dias, feira ultrapassa 100 mil visitantes e registra a comercialização de 380 mil peças

Os feriados nos dois primeiros finais de semana do 28º Festimalha foram fundamentais para superar as metas da Associação Comercial e Industrial de Nova Petrópolis (Acinp) – promotora do evento -, e também dos 47 malheiros expositores. Nem a falta de frio intenso e a chuva insistente dos últimos finais de semana foram capazes de atrapalhar o bom número de visitantes e o volume de negócios gerado pelo evento, que ficaram acima do esperado. Nos 25 dias, 102.245 visitantes passaram pelos corredores do Festimalha, que registrou a venda de cerca de 380 mil peças em malha.

“Tivemos expositores que venderam mais que no ano passado. Todos estão saindo do Festimalha satisfeitos, mas o mais importante é que mesmo diante do momento econômico vivido no país, as pessoas vieram, visitaram a feira e compraram e, além disso, curtiram as atrações da cidade, movimentando a economia local”, esclarece o presidente da Acinp, José Paulo Boelter. Na avaliação de Boelter, o resultado foi extremamente positivo. “Driblamos a crise e o mau tempo e superamos nossas metas. Isso porque temos o que oferecer. Nossas malhas têm qualidade, design próprio e o DNA de um povo que vive no dia a dia a cultura germânica. E o turista quer muito mais que um produto; ele quer viver uma experiência”, destaca.

Seguindo a temática “Moda para Todos”, o 28º Festimalha atraiu gente de todo o país, seduzidos por novidades em diversos estilos. Não é por acaso que o slogan da feira é “A malha que veste o Brasil”. O público veio de 25 estados brasileiros, além do Distrito Federal. Só do Rio Grande do Sul foram registrados visitantes de 306 municípios. A presença de grupos também foi expressiva com a vinda de 299 excursões.

Do total produzido por ano pelas malharias de Nova Petrópolis, 45% é destinado à feira. Conforme a diretora do Departamento de Malharias da Acinp, Michele Arend, o Festimalha é muito importante para o incremento das vendas no setor. “Dependendo do porte da malharia, os negócios gerados na feira chegam a representar mais de 50% do faturamento anual. Este ano, percebe-se que em alguns casos as vendas foram maiores na feira do que o faturamento anual na loja no centro da cidade”, relata. Outro aspecto muito relevante destacado por Michele é que os lançamentos apresentados na feira seguem sendo comercializados nas lojas das malharias. “Para quem não teve a chance de visitar o Festimalha ou deixou de adquirir mais peças, toda coleção continua sendo vendida com preço direto de fábrica nas unidades de cada malheiro no centro da cidade”, ressalta.

 

Atrativos que fizeram a diferença

Além do apelo para as novas coleções da moda inverno, a feira também atraiu gente que busca atrelar novas experiências às compras. Foi o caso do Festimalha Bier Festival, por exemplo, que no último final de semana recebeu um público aficionado por cervejas artesanais. Instalada no segundo piso, junto ao Maridódromo, a atração paralela enalteceu a vocação da região na elaboração da bebida, que hoje é mais um produto turístico-cultural da região.

Um dos atrativos mais concorridos do evento foram os desfiles, que exibiram os lançamentos dos expositores em looks para crianças, jovens e adultos. O Desfile de Dia das Mães e o Encontro de Rainhas foram além, emprestando ainda mais dinâmica à passarela da maior feira de malha tricot do Sul do Brasil. Na segunda data comercial mais importante do ano, 19 mães desfilaram com seus filhos, emocionando quem passou pelo local. O Festimalha aproveitou o embalo para realizar a campanha “Minha Mãe É Top”. Foram 10 dias de promoção com 98 fotos postadas. As mães dos posts mais curtidos foram Rayane Laís Cícero Alexandre, de Nova Petrópolis, com 3,9 mil curtidas, e Denise Beatriz Andrezza, de Porto Alegre, com 3,7 mil curtidas. As duas vencedoras, além dos ingressos para a feira, também receberam uma malha. Denise, de Porto Alegre, ganhou uma diária no Hotel Petrópolis. Já o Encontro de Rainhas foi um desfile de muita beleza. As malhas de Nova Petrópolis ganharam ainda mais destaque no corpo de 22 soberanas de festas de cidades do Rio Grande do Sul, que pisaram na passarela no dia 7 de maio.

Numa verdadeira tarde alemã, cerca de mil mocinhos e mocinhas com mais de 60 anos participaram do XI Top Model Terceira Idade, reunindo 13 grupos da Melhor Idade de Capão da Canoa, Estância Velha, Farroupilha, Morrinhos do Sul, Presidente Lucena, além de Nova Petrópolis. As torcidas organizadas deram um show de disciplina e animação, tendo como grande vencedora do título Melhor Torcida o Grupo Conviver, de Estância Velha. Desfile, baile e muita animação marcaram o evento, que elegeu Ader Pereira Pechi (66), do Grupo Vila Rica, e Vera Maria Klein (61), do Grupo Unidos da Linha Imperial como o casal Top Model Terceira Idade Festimalha 2017 na Categoria Local. Joãozinho Antônio Schallamberg (63), do Grupo Conviver de Estância Velha, e Ilídia Schwanck Carlos (80), do Grupo Revivendo a Juventude, de Morrinho do Sul, ganharam como Top Model Terceira Idade Festimalha na Categoria Visitante.

E ainda teve muita comédia com “Esse dia foi Loko”, conduzido por Diogo Elzinga e Caciano Kuffel, que divertiram a plateia com stand up e mágicas. O Dia do Trabalho foi celebrado com o ChimaRock. Muito chimarrão e bandas embalaram a tarde do feriado.

O 28º Festimalha aconteceu de 20 de abril a 28 de maio, de quintas a domingos, além do feriado de 1º de Maio, no Centro de Eventos de Nova Petrópolis. A feira reuniu 63 expositores (47 malharias, 11 expositores gastronômicos e cinco de acessórios) numa área de 2,7 mil m² de área coberta. Mais informações: www.festimalha.com.br

 

Fotos: Mauro Stoffel